Tag: solo pobre

Plantas carnivoras

São espécies de vegetais que: capturam, matam e digerem insetos ou pequenos animais, devido à presença de enzimas digestivas que extraem compostos nitrogenados e assim como fonte de nutrientes, dependem do nitrogênio e proteína animal.

Estas espécies de plantas vivem em solos pobres e encharcados (como brejos). A falta de nutrientes, principalmente do nitrogênio é um fator crítico que limita o crescimento das plantas e as carnívoras se adaptaram e desenvolveram métodos para digerir animais e utilizarem suas proteínas ricas em nitrogênio.
Existe mais de 500 espécies de plantas carnívoras distribuídas no mundo todo com exceção da florestas tropicais úmidas.

As plantas carnívoras utilizam-se de várias armadilhas para atraírem e capturarem suas presas como:

Ascídios:

Ascídios são folhas inchadas e ocas, altamente especializadas, similares a jarras, com uma entrada no topo e em seu interior contém um líquido digestivo. Pequenos invertebrados e até mesmo minúsculos vertebrados são capturados por este tipo de planta. Ao caírem no líquido digestivo destas plantas as presas se afogam e são digeridas. As plantas Darlingtonia são popularmente conhecidas como planta-jarra.

Armadilhas de sucção :

Este tipo de armadilha é encontrado em todas as espécies de Utricularia, que vivem submersas em água. Possuem utrículos que se assemelham a pequenas bolsas, contendo uma minúscula entrada cercada por gatilhos, e ao serem estimulados provocam a abertura dessa entrada. Quando a entrada é aberta, é sugado para dentro tudo que estiver ao redor incluindo à presa que estimulou o gatilho.

Armadilhas folhas colantes :

Este tipo de armadilha em relação às outras existentes é a mais simples. São glândulas colantes espalhadas nas folhas e podem estar presentes na planta toda. Em plantas como Byblis, Drosera, Drosophyllum, Ibicella e Triphyophyllum é encontrada este tipo de armadilha que capturam geralmente pequenos insetos voadores.

As folhas das plantas carnívoras que possuem este tipo de armadilha estão divididas em duas partes, similar a uma boca, com gatilhos no interior. Este gatilho ao ser tocado pelo animal aciona um mecanismo que imediatamente fecha as metades da folha, sendo abertas somente após a digestão do animal. Ao contrário do que muitas pessoas pensam estas enzimas proteolíticas são inofensivas à pele humana e aos animais de médio e grande porte. Esse tipo de armadilha é encontrada na Dionéia (Dionaea) que se alimenta principalmente de aranhas, moscas, lagartas, lesmas, entre outros. O animal capturado é ingerido pelas glândulas digestivas da folha enter 5 a 15 dias.

As dionéias conseguem diferenciar insetos e dentritos não comestíveis que possam cair em sua armadilha através dos pêlos sensitivos. Objetos inanimados como pedras e galhos quando caem nas folhas abertas das dionéias não se movimentam, portanto, não dispararão os pelos sensitivos das plantas.

Visite também os posts:

Bromélia

Pândano

Gengibre vermelho.

Babosa de arvore.

Pleomele.

Afelandra

Helicônia papagaio

Lírio amarelo

 

Pata de vaca branca.

Piléia.

Mulungu.

Agapanthus.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

 

Pennisetum setaceum


Pennisetum setaceum, nome cientifico do capim conhecido popularmente como: capim do Texas ou capim chorão, uma planta perene, nativa da África e Ásia, trata-se de uma gramínea de folhagem densa, com  folhas afiladas e longas e inflorescência muito ornamental e diferenciada, com flores reunidas em inflorescência cilíndrica.

A planta forma touceiras de 40 a 60 cm de altura, com flores de aspecto leve e suave, em forma de plumas, em cores que acompanham os tons da folhagem; Sendo rosada na planta de folha vermelha e roxa e esbranquiçadas na planta de folha verde.

As variedades mais cultivadas, são: Rubrum, Cupreum, Atrosanguineum, Purpureum e Eaton Canyon,sendo a ultima uma variedade miniatura.

Com efeito paisagístico  inovador e chama atenção principalmente daqueles que buscam diversidade e fogem do óbvio, podendo ser cultivada em: maciços, bordaduras e canteiros.

O pennisetum setaceum é uma espécie de baixa manutenção e apresenta muita rusticidade a planta rebrota com vigor após poda drástica, geada e até após queimadas; A estrutura e características da planta faz com que seja cultivada em projetos de jardins contemporâneo, árido e desértico.

Também recomendado para o controle de erosão. Porém, é considerada uma planta de alto risco de invasão ambiental, tendo em seu histórico problemas ecológicos em alguns países. Mas atualmente há variedades estéreis em cultivo, com baixo poder invasivo, que só podem ser propagadas de forma vegetativa.

Dicas para o cultivo saudável do Pennisetum setaceum:

  • Cultive sob meia sombra ou sombra.
  • Regue a planta a cada 10 dias pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive em solos secos ou úmidos.
  • A planta pode ser cultivada em solo pobre, ácidos ou alcalinos.
  • Realize mudas através de divisão de touceira e por sementes nas variedades férteis.
  • Faça a poda drástica da planta no início do outono.
  • A planta não apresenta necessidade de adubação.


 

O capim do Texas é uma espécie de baixa manutenção e apresenta muita rusticidade.

 

A planta forma touceiras de 40 a 60 cm de altura, com flores de aspecto leve e suave, em forma de plumas.

Gramínea de folhagem densa e inflorescência muito ornamental e diferenciada.

Flores reunidas em inflorescência cilíndrica.

Visite também os posts:

Jardim desértico ou árido.

Lança de são jorge.

Bromélias.

Agave.


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.

Capim chorão


O capim chorão ou capim do Texas, (Pennisetum setaceum), é uma planta perene, nativa da África e Ásia, trata-se de uma gramínea de folhagem densa, com  folhas afiladas e longas e inflorescência muito ornamental e diferenciada, com flores reunidas em inflorescência cilíndrica.

A planta forma touceiras de 40 a 60 cm de altura, com flores de aspecto leve e suave, em forma de plumas, em cores que acompanham os tons da folhagem; Sendo rosada na planta de folha vermelha e roxa e esbranquiçadas na planta de folha verde.

As variedades mais cultivadas, são: Rubrum, Cupreum, Atrosanguineum, Purpureum e Eaton Canyon, sendo a ultima uma variedade miniatura.

Com efeito paisagístico  inovador e chama atenção principalmente daqueles que buscam diversidade e fogem do óbvio, podendo ser cultivada em: maciços, bordaduras e canteiros.

O capim chorão é uma espécie de baixa manutenção e apresenta muita rusticidade a planta rebrota com vigor após poda drástica, geada e até após queimadas; A estrutura e características da planta faz com que seja cultivada em projetos de jardins contemporâneo, árido e desértico.

Também recomendado para o controle de erosão. Porém, é considerada uma planta de alto risco de invasão ambiental, tendo em seu histórico problemas ecológicos em alguns países. Mas atualmente há variedades estéreis em cultivo, com baixo poder invasivo, que só podem ser propagadas de forma vegetativa.

Dicas para o cultivo saudável do capim chorão:

  • Cultive sob meia sombra ou sombra.
  • Regue a planta a cada 10 dias pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive em solos secos ou úmidos.
  • A planta pode ser cultivada em solo pobre, ácidos ou alcalinos.
  • Realize mudas através de divisão de touceira e por sementes nas variedades férteis.
  • Faça a poda drástica da planta no início do outono.
  • A planta não apresenta necessidade de adubação.


 

O capim do Texas é uma espécie de baixa manutenção e apresenta muita rusticidade.

Gramínea de folhagem densa e inflorescência muito ornamental e diferenciada.

A planta forma touceiras de 40 a 60 cm de altura, com flores de aspecto leve e suave, em forma de plumas.

Flores reunidas em inflorescência cilíndrica.

Visite também os posts:

Jardim desértico ou árido.

Lança de são jorge.

Bromélias.

Agave.


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.