Tag: renques

Madressilva

A madressilva é uma especie entouceirada, também conhecida como: alstroeméria, lírio-de-luna, lírio-dos-incas, lírio-peruviano, madressilva-brasileira, madressilva-da-terra, madressilva-de-canteiro.

Planta perecível, que necessita realizar o replantio após o termino da floração, se desejar um cultivo de qualidade, pois a espécie diminui o vigor após florir.

Nativa do Brasil, a madressilva possui aroma semelhante ao da trepadeira madressilva; Com porte que chega a medir 50 cm de altura e folhas verdes que caem na época da florada.

O cultivo da madressilva pode ser realizado em vasos, canteiros, renques próximo á  muros ou ainda em forma de maciço, introduzida em projetos de paisagismo em jardim de estilo tropical.

Se deseja cultivar espécies que exalam aromas, conheça duas espécies, com cheiros semelhantes, porém, com estruturas bem diferenciadas. Se optar pelo plantio irá introduzir em seu projeto de paisagismo espécies que aguçam além do sentido visual o do olfato também.

Dicas para o cultivo saudável da madressilva:

  • Regue a planta 1 vez na semana.
  • Cultive sob meia sombra.
  • Cultive em solo fértil, bem drenado e ricos em matéria orgânica.
  • Realize mudas através de divisão de touceira, durante o repouso vegetativo, no início do Outono.
  • Faça replantio da espécie a cada 1 ou 2 anos, conforme a necessidade que a planta apresenta.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.

 

 

 

Brasileirinha


Brasileirinha ou croton, (Codiaeum Variegatum), trata-se de uma espécie nativa da Índia, Malásia e Ilhas do Pacífico; Arbusto perene, com uma folhagem exuberante e muito colorida.

Apresenta caule lenhoso e seiva tóxica (ao contato com a pele pode surgir pequenas erupções ou coceiras). Alcançar até 3 metros de altura e apresenta flores de menor importância, porém sua folhagem se destaca com diversas cores e formas.

Folhagens encontradas em inúmeras tonalidades mescladas em: amarelo, roxo, vermelho, branco e laranja, sempre muito colorida e chamativa; E as formas  encontradas são: afiladas, ovaladas, retorcidas. Realiza um efeito de grande destaque em projetos de paisagismo; Porém não são espécies amplamente introduzidas em grandes jardins.

A brasileirinha é mais utilizado no paisagismo como espécies isoladas, em pequenos jardins em frente de casas ou em vasos, mas infelizmente o efeito que esta planta é capaz de criar em grandes maciços, renques, devido ao colorido de suas folhas ainda é pouco explorado no paisagismo.

Espécie muito resistente, a brasileirinha apresenta baixa incidência de pragas e de fácil manutenção. Planta tropical, de crescimento lento, por este motivo quase não requer podas. Se adapta bem em interiores, em ambientes com boa ventilação e umidade, longe do ar condicionado.

Em projetos de paisagismo Codiaeum Variegatu é excelente para ser cultivada em:

    Há inúmeras formas de introduzir a Codiaeum Variegatu na decoração, para a composição com harmonia no ambiente, tais como:

    • Bordadura, em bordas de edificações.
    • Maciços, em gramados.
    • Isolada em gramados, com crescimento livre.
    • Conjunto ao longo de alamedas
    • Conjunto de exemplares, na forma de renques ou pequeno bosque.
    • Cerca viva.
    • Envasada em ambientes internos e externos.
    • Planta palustre próximo á lagos, piscinas, espelho d’água.
    • Junto a taludes e grandes pedras.

      Devido a  Codiaeum Variegatu não apresentar floração  a planta se integra com facilidade a plantas de folhagens exuberante a espécies, nas cores:

      • Vermelha, laranja, amarela e branca.
      • Roxo, azul e branca.

        Dicas para o cultivo saudável da brasileirinha:

        • Regue a planta a cada 10 dias pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
        • Cultive sob sol pleno ou meia sombra.
        • Realize mudas através de estacas
        • Faça a poda de contenção da planta se houver necessidade, entre os meses de maio até agosto.
        • Adube com fertilizante mineral, Npk 10-10-10.


          Espécie chega medir 3 metros de altura.

          As folhas da planta mudam de cor, enquanto crescem.

          Visite também os posts:

          Dracena vermelha.

          Maranta zebrada

          Dracena.

          Areca bambu.

          Cica.

          Estufa para plantas

          Ipê rosa.

          Ipê branco.

          Romã.

          Cheflera.

          Cerejeira ornamental.

          Arvore do viajante.

          Envie comentário.

          Tire suas dúvidas.

          Curta no facebook.

          Cróton


          O cróton ou brasileirinha, (Codiaeum Variegatum), espécie nativa da Índia, Malásia e Ilhas do Pacífico; Arbusto perene, com uma folhagem exuberante e muito colorida. Apresenta caule lenhoso e seiva tóxica (ao contato com a pele pode surgir pequenas erupções ou coceiras). Alcançar até 3 metros de altura e apresenta flores de menor importância, porém sua folhagem se destaca com diversas cores e formas.

          Folhagens encontradas em inúmeras tonalidades mescladas em: amarelo, roxo, vermelho, branco e laranja, sempre muito colorida e chamativa; E as formas  encontradas são: afiladas, ovaladas, retorcidas. Realiza um efeito de grande destaque em projetos de paisagismo; Porém não são espécies amplamente introduzidas em grandes jardins.

          O cróton é mais utilizado no paisagismo como espécies isoladas, em pequenos jardins em frente de casas ou em vasos, mas infelizmente o efeito que esta planta é capaz de criar em grandes maciços, renques, devido ao colorido de suas folhas ainda é pouco explorado no paisagismo.

          Espécie muito resistente, o cróton apresenta baixa incidência de pragas e de fácil manutenção. Planta tropical, de crescimento lento, por este motivo quase não requer podas. Se adapta bem em interiores, em ambientes com boa ventilação e umidade, longe do ar condicionado.

          m projetos de paisagismo Codiaeum Variegatu é excelente para ser cultivada em:

          Há inúmeras formas de introduzir a Codiaeum Variegatu na decoração, para a composição com harmonia no ambiente, tais como:

          • Bordadura, em bordas de edificações.
          • Maciços, em gramados.
          • Isolada em gramados, com crescimento livre.
          • Conjunto ao longo de alamedas
          • Conjunto de exemplares, na forma de renques ou pequeno bosque.
          • Cerca viva.
          • Envasada em ambientes internos e externos.
          • Planta palustre próximo á lagos, piscinas, espelho d’água.
          • Junto a taludes e grandes pedras.

          Devido a  Codiaeum Variegatu não apresentar floração  a planta se integra com facilidade a plantas de folhagens exuberante a espécies, nas cores:

          • Vermelha, laranja, amarela e branca.
          • Roxo, azul e branca.

          Dicas para o cultivo saudável do cróton:

          • Regue a planta a cada 10 dias pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
          • Cultive sob sol pleno ou meia sombra.
          • Realize mudas através de estacas
          • Faça a poda de contenção da planta se houver necessidade, entre os meses de maio até agosto.
          • Adube com fertilizante mineral, Npk 10-10-10.


          Espécie chega medir 3 metros de altura.

          As folhas do cróton muda de coloração conforme crescem.

          Cróton cultivado sob sombra em vaso.

          Visite também os posts:

          Bromélia

          Pândano

          Gengibre vermelho.

          Babosa de arvore.

          Pleomele.

          Afelandra

          Helicônia papagaio

          Lírio amarelo

          Areca bambu.

          Cica.

          Estufa para plantas

          Ipê rosa.

          Dracena vermelha.

          Maranta zebrada.

          Dracena.

          Envie comentário.

          Tire suas dúvidas.

          Curta no facebook.