Tag: projetos paisagístico

Pitangueira

A pitangueira arvore nativa da mata atlântica brasileira. E também encontrada na Ilha da Madeira, Portugal, onde foi introduzida pelos portugueses.

Cultivada tradicionalmente em quintais domésticos. Ornamental, esta arvore é muito utilizada em projetos paisagísticos, com a característica de combinar com vários estilos de jardins. Podendo também ser cultivada em vasos de grande e médio porte, seus frutos são grandes atrativos para pássaros.

A pitangueira é uma arvore de pequeno porte, nas regiões subtropicais alcança entre 7 a 10 metros de altura, desenvolvimento moderado e medianamente rustica, com tronco irregular, ramificado, bastante engalhado de cor avermelhada, com folhas de aroma muito agradável quando macerada. Desenvolve-se bem em terrenos arenosos. Importante na utilização em reflorestamentos para a recuperação em áreas degradadas.

Floresce de agosto a novembro. E o período de frutificação varia de outubro a janeiro. A floração da pitangueira é abundante, branca e perfumada. O fruto é arredondado e relativamente pequeno, coloração vermelha, rubra, roxa, às vezes quase preta; Polpa carnosa, de sabor adocicado, levemente ácido, envolvendo uma semente esverdeada.

O ato de comer pitangas colhidas diretamente no pé tem espaço garantido na cultura e sentimento brasileiro. Fruta muito apreciada por sua polpa agridoce e perfumada. Da pitanga se obtém: sucos, geleias, vinhos, doces e licores. A presença de licopeno, anti-oxidante,  em sua composição é responsável pela coloração vermelha intensa da fruta.
Na composição química de 100 gramas de polpa de pitanga foram encontradas: 38 calorias, proteína, cálcio, fósforo, ferro, vitamina B2 e vitamina C.

Com as folhas se faz chá eficiente no alívio de dores reumáticas; No tratamento de bronquite; E para baixar a febre. A madeira é empregada na confecção de cabos de ferramentas e outros instrumentos agrícolas.

Sendo o estado de Pernambuco um dos principais produtores, tem uma produção estimada em 1700 toneladas de frutos ao ano.

 

Pitanga na literatura:

  • Vem da língua Tupi-Guarani (pi-tana), vermelho.
  • A essa cor se deve a expressão “chorar pitanga”. Segundo Câmara Cascudo, é adaptação da expressão portuguesa “chorar lágrimas de sangue”.
  • A cor da “boca mimosa e vermelha como pitanga” descrita por José de Alencar, em Iracema.
  • A cor do rosto envergonhado “que ficou como uma pitanga”, segundo Machado de Assis, em Quincas Borba.
  • “Erisipela só tá com febre alta… Isto passa. Com o chá de pitanga, tudo vai indo”, receita de Guimarães Rosa, em Sagarana.

 

Phormium tenax


Phormium tenax, nome cientifico da planta também conhecida popularmente como: fórmio, linho da nova Zelândia, fibra da nova Zelândia e cânhamo da nova Zelândia, é uma planta vigorosa de folhagem ornamental, nativa da Nova Zelândia; Planta perene de folhas em forma de lâmina muito longas e eretas que podem alcançar 3 metros de altura.

Folhagem com inúmeras variedades, com folhas: verdes, avermelhadas ou com margens e listras longitudinais nas cores: amarela, branca, laranja,  róseo e roxo.

Com flores que surgem na primavera e atraem grande numero de polinizadores, com flores vermelhas e depende da variedade tem maior ou menor importância ornamental.

Há diversas variedades de phormium tenax, como:

  • Mini fórmio.
  • Fórmio roxo.
  • Fórmio rubro.
  • Fórmio varigata.
phormium tenax trata-se de folhagem muito vistosa e resistente o que a torna apropriada para o cultivo em projetos paisagístico de muitas formas,como:
  • Renque.
  • Maciço.
  • Isolada em gramados.
  • Envasada em ambientes internos e externos.
  • E como planta palustre próximo á lagos, piscinas, espelho d’água; E ainda junto a taludes e grandes pedras.

Por ser uma espécie tão versátil, o phormium tenax pode ser introduzida em jardim de estilo tropical, contemporâneo e até mesmo árido.

Na Nova Zelândia, as fibras extraídas das folhas de fórmio, são utilizadas em cestarias e artesanatos pelos Maori, que também o utilizam como planta medicinal.

phormium tenax também trata-se de uma planta utilizada na confecção de arranjos florais, como decoração de ambientes de casas, escritório, salão de festa etc…

Dicas para o cultivo saudável do phormium tenax:

  • Regue a planta a cada 10 dias, pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive sob sol pleno ou meia sombra.
  • Disponibilize em ambientes internos luz direta por 3 ou 4 horas diárias.
  • Cultive em solo fértil e bem drenado.
  • Realize mudas através de divisão de touceira e por sementes.
  • Realize limpeza da planta quando cessar a floração, retire folhas e hastes  das flores velhas, para revitalizar a planta.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.
  • Dê espaçamento para o plantio de 80 cm entre as mudas e cultive bem rente ao muro.
  • Misture ao solo grama seca ou palha de arroz, para  manter o solo sempre úmido.

Siga estas dicas de cultivo e o phormium tenax se manterá com aparência exuberante, desta forma trás vida e colorido na decoração do ambiente, e deixa a espécie livre de doenças e pragas.


Pode ser introduzida em jardim de estilo tropical, contemporâneo e até mesmo árido.

Folhagem muito vistosa e resistente, o que a torna apropriada para o cultivo em projetos paisagístico de muitas formas.

Visite também os posts:

Sapatinho de judia.


Trepadeira para pergolado.


Trepadeiras.


Filodendro.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

Siga no twitter.

Fórmio rubro


O fórmio rubro, (Phormium tenax), também conhecida popularmente como: linho da nova Zelândia, fibra da nova Zelândia e cânhamo da nova Zelândia, é uma planta vigorosa de folhagem ornamental, nativa da Nova Zelândia; Planta perene de folhas em forma de lâmina muito longas e eretas que podem alcançar 3 metros de altura.

Folhagem avermelhadas; Com flores que surgem na primavera e atraem grande numero de polinizadores, na cor vermelha que dependendo da variedade tem maior ou menor importância ornamental.

Há diversas variedades de fórmios, como:

  • Mini fórmio.
  • Fórmio roxo.
  • Fórmio verde.
  • Fórmio variegata.
fórmio trata-se de folhagem muito vistosa e  resistente, o que a torna apropriada para o cultivo em projetos paisagístico de muitas formas, como:
  • Renque.
  • Maciço.
  • Isolada em gramados.
  • Envasada em ambientes internos e externos.
  • E como planta palustre próximo á lagos, piscinas, espelho d’água; E ainda junto a taludes e grandes pedras.

Por ser uma espécie tão versátil, o fórmio rubro pode ser introduzida em jardim de estilo tropical, contemporâneo e até mesmo árido.

Na Nova Zelândia, as fibras extraídas das folhas da planta são utilizadas em cestarias e artesanatos pelos Maori, que também o utilizam como planta medicinal.

fórmio rubro também trata-se de uma planta utilizada na confecção de arranjos florais, como decoração de ambientes de casas, escritório, salão de festa etc…

Devido 0 fórmio rubro não apresentar floração, ela se integra com facilidade a plantas de folhagens exuberante; Consulte as dicas de espécies para auxiliar na escolha das plantas do projeto e cultivo do jardim.

  1. ARBUSTO:   Camarão amarelo.
  2. TREPADEIRA:     Sapatinho de judia.
  3. FORRAÇÃO:   Grama amendoim.

Dicas para o cultivo saudável do fórmio rubro:

  • Regue a planta a cada 10 dias, pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive sob sol pleno ou meia sombra.
  • Disponibilize em ambientes internos luz direta por 3 ou 4 horas diárias.
  • Cultive em solo fértil e bem drenado.
  • Realize mudas através de divisão de touceira e por sementes.
  • Realize limpeza da planta quando cessar a floração, retire folhas e hastes  das flores velhas, para revitalizar a planta.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.
  • Dê espaçamento para o plantio de 80 cm entre as mudas e cultive bem rente ao muro.
  • Misture ao solo grama seca ou palha de arroz, para  manter o solo sempre úmido.
  • Utilize Adubo orgânico, 2 vezes ao ano, para não compactar o solo.
  • Conheça os pontos cardiais, de seu jardim.

Siga estas dicas de cultivo e o fórmio rubro se manterá com aparência exuberante, desta forma trás vida e colorido na decoração do ambiente, e deixa a espécie livre de doenças e pragas.


Folhagem muito vistosa e resistente, o que a torna apropriada para o cultivo em projetos paisagístico de muitas formas.

Pode ser introduzida em jardim de estilo tropical, contemporâneo e até mesmo árido.

Visite também os posts:

 

Sapatinho de judia.


Trepadeira para pergolado.


Trepadeiras.


Filodendro.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

Siga no twitter.