Tag: poda

Jardim francês


No jardim clássico estilo francês, deseja demonstrar em sua forma:

  • O domínio do homem sobre a natureza.
  • O desenho da arquitetura rebuscada, (trazida dos palácios até os jardins).
  • A grandiosidade das construções, em desenhos simétricos, (materiais e naturais).

Considerado como o criador do estilo de jardim clássico, o rei Luís XIV; Difundiu este estilo para diversos países, durante o período da Renascença. Onde a vegetação exerce um papel secundário e o destaque fica para as construções, arquitetura, esculturas e ornamentos; E os dois exemplos deste estilo de jardim mais reconhecidos são:

  • Vila Médici (Itália).
  • Jardim de Versailles (França).

Há duas características básicas no jardim em estilo francês; canteiros com flores coloridas, horta com ervas-medicinais, espelho d’água com chafariz e fonte. E formas geométricas percebidas nos caminhos e vegetação.

Com espaços detalhadamente pensados e desenhados o jardim francês conquista ares de monumentos, como castelos e mansões; E faz com que este jardim seja uma extensão das edificações.

O traçado dos caminhos obedece a uma planta baixa, onde as trilhas são adornadas por espécies que passam pela intervenção de topiária; Em cercas vivas com folhas firmes, como: viburno, buxo, murta, louro, pinheiro, azinheiro e cipreste.

As flores escolhidas tem cores harmoniosas e são esculpidas em formas precisas, delimitadas por vasos e cachepôs. As espécies indicadas são: roseira, roseira-trepadeira, amor-perfeito, azaleia, lavanda e tulipa.

A atual escola de jardinagem considera as esculturas topiadas, agressiva e  fora de moda, não apenas pelo alto custo em manutenção, como também pelo stress aplicado ás plantas, com suas constantes podas. Porém em um jardim clássico francês a sua forma é diretamente ligada ao rigor simétrico do desenho aplicado; No entanto já vemos no Brasil uma intervenção em relação as espécies introduzidas na confecção do jardim clássico francês, uma introdução de espécies que não possuem necessidade de podas constantes e que cresçam lentamente. E uma menor introdução de espécies em topiaria, deixando espaço para elementos materiais exercerem o papel na simetria. Assim baixando os custos com a manutenção do jardim, e criando um maior respeito as espécies.

Os elementos da decoração são muito importante na composição arquitetônica do jardim clássico francês, mais que qualquer outro estilo de jardim, ele faz uso generoso de: pergolado, fonte, banco, escultura, luminária, escadaria, plataforma, espelho d’água entre outros, desenha a paisagem e da o contorno temático a cada parte do jardim.

Independente do espaço disponível a estrutura do jardim clássico francês, também se encaixa em quintais menores, porem bem planejados que podem vir a ser miniaturas de jardins clássicos de palácio franceses.


Escultura com bordadura de lavanda.

Pergolado confeccionado com vigas em estilo romano.

Panorâmica de jardim clássico.

Escadaria com cultivo de espécies nos degraus.

 

Visite também os posts:

Parque do Ipiranga

Jardim desértico


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.

Hibiscus sabdariffa


Hibiscus sabdariffa, popularmente conhecido como hibisco, trata-se de um arbusto nativo da Ásia, espécie amplamente hibridada, com cerca de 300 espécies, dando origem a inúmeras formas e cores de flores exuberantes. Apresenta folhas verde claro ou mescladas de verde e branco, (espécie menos cultivada). A planta pode atingir até 2 metros de altura.

Uso ornamental do hibiscus sabdariffa:

O hibiscus sabdariffa pode ser cultivado das mais diversas formas, como em: vasos, espécies isolada, cerca viva, maciços e até em forma de bonsai, que reforça a beleza da planta.

Muito utilizada em projetos de paisagismo, pois trata-se de uma planta de baixa manutenção, fazendo necessário um maior cuidado quando cultivada em forma de cerca viva e bonsai, pois são formas de cultivos que requerem maiores cuidados.

O hibiscus sabdariffa é uma espécie amplamente cultivada para fins comerciais, uma planta com auto poder econômico, com venda garantida tanto na forma de plantas ornamentais, como em forma de medicamento natural e está amplamente disseminado em regiões tropicais e subtropicais.

Dicas para o cultivo do hibiscus sabdariffa:

  • Regue a planta a cada 10 dias pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive sob sol pleno ou meia sombra.
  • Realize mudas através de estacas aproveitas da poda e por alporquias.
  • Faça a poda da planta entre os meses de maio até agosto
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.
  • A planta não tolera geadas e temperaturas constantemente baixa.

Uso medicinal do hibiscus sabdariffa:

Estudos realizados com o hibiscus sabdariffa revelam que a planta trás benefícios para a saúde e prova que a antocianina, um potente antioxidante, que confere a coloração vermelha ao hibiscus sabdariffa é equivalente a quantidade encontrada em uvas e vinhos tintos.

O hibiscus sabdariffa apresenta ainda acido málico (antioxidante), vitamina C e mucilagens.

Conheça os benefícios no consumo do chá de hibiscus sabdariffa:

  • Reduz pressão arterial.
  • Diminui risco de doenças cardiovasculares, pois reduz a oxidação do colesterol – LDL.
  • Favorece o bom funcionamento do intestino.
  • Queima de gordura corporal.
  • Auxilia na digestão.
  • Combate a retenção de líquidos.
  • Reduz a absorção de carboidratos e gorduras.
  • Ajuda frear o processo de envelhecimento.

*Gestantes e lactantes, não devem fazer o uso sem orientação médica.


A flor do hibisco passa uma arte da tarde e a noite fechadas.

Flor de hibisco hibridada, na cor rosa.

A flor do hibisco passa uma parte da tarde e a noite fechadas.

O hibiscus sabdariffa pode ser cultivado das mais diversas formas.

Amplamente disseminado em regiões tropicais e subtropicais.

Antocianina, um potente antioxidante, confere a coloração vermelha ao hibiscus sabdariffa

Visite também os posts:

Topiaria.


Maciço.

Coroa de Cristo.


Envie comentário.

Retire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.

Dedal de dama


Dedal de dama, alamanda amarela, carolina e dedal de moça, ( Alamanda Cathartica), trepadeira nativa do Brasil, que apresenta vistosas flores e uma  folhagem espessa e bastante ornamental, composta de folhas verdes e vistosas o ano inteiro. Planta perene, semi-lenhosa de crescimento lento.

Dedal de dama é uma trepadeira lactescente, semi-lenhosa do litoral norte, nordeste e leste do Brasil, muito vigorosa com variável tonalidades de flores, em:

  • Amarelo.
  • Rosa.
  • Vinho.

A dedal de dama é uma trepadeira muito utilizada em projetos de paisagismo, pois trata-se de uma espécie muito resistente e de fácil manutenção, realiza de forma uniforme a cobertura do espaço onde é cultivada; Porém não é recomendada para o cultivo em pergolados, devido a sua floração ficar pouco exposta quando cultivada neste local.

Entretanto a dedal de dama é a trepadeira ideal para ser cultivada em:

  • Cercas.
  • Pórticos.
  • Taludes.
  • Muros.

Sempre tutorada com arames muito firmes, pois a planta apresenta ramos fortes e pesado.

A dedal de dama é muito introduzida em projetos de paisagismo residenciais, empresarias e urbanos, fazendo desta trepadeira uma das espécies mais conhecidas, pois esta sempre florida e suas folhas apresentam um verde com brilho destacado.

Apesar da dedal de dama ser uma planta tão conhecida e introduzida em ambientes de grande circulação de pessoas trata-se de uma espécie lactescente, (produz látex resinoso e venenoso),  por este motivo deve se ter atenção no contato de crianças com a planta.

Dicas para o cultivo saudável da dedal de dama:

  • Regue a planta a cada 10 dias pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive sob sol pleno, porém a dedal de dama é uma planta que tolera bem o frio.
  • Realize mudas através de sementes ou estacas aproveitadas da poda
  • Faça a poda de contenção da planta se houver necessidade, entre os meses de maio até agosto.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.

Trepadeira que apresenta flores e folhas vigorosas.

Sementes da trepadeira dedal de dama.

Cultive sob sol pleno.

A dedal de dama deve ser tutorada com arames muito firmes pois a planta apresenta ramos fortes e pesado.

Visite também os posts:

Sapatinho de judia.

Trepadeira para pergolado.


Trepadeira sanguínea.


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.