Tag: nitrogênio

Plantas carnivoras

São espécies de vegetais que: capturam, matam e digerem insetos ou pequenos animais, devido à presença de enzimas digestivas que extraem compostos nitrogenados e assim como fonte de nutrientes, dependem do nitrogênio e proteína animal.

Estas espécies de plantas vivem em solos pobres e encharcados (como brejos). A falta de nutrientes, principalmente do nitrogênio é um fator crítico que limita o crescimento das plantas e as carnívoras se adaptaram e desenvolveram métodos para digerir animais e utilizarem suas proteínas ricas em nitrogênio.
Existe mais de 500 espécies de plantas carnívoras distribuídas no mundo todo com exceção da florestas tropicais úmidas.

As plantas carnívoras utilizam-se de várias armadilhas para atraírem e capturarem suas presas como:

Ascídios:

Ascídios são folhas inchadas e ocas, altamente especializadas, similares a jarras, com uma entrada no topo e em seu interior contém um líquido digestivo. Pequenos invertebrados e até mesmo minúsculos vertebrados são capturados por este tipo de planta. Ao caírem no líquido digestivo destas plantas as presas se afogam e são digeridas. As plantas Darlingtonia são popularmente conhecidas como planta-jarra.

Armadilhas de sucção :

Este tipo de armadilha é encontrado em todas as espécies de Utricularia, que vivem submersas em água. Possuem utrículos que se assemelham a pequenas bolsas, contendo uma minúscula entrada cercada por gatilhos, e ao serem estimulados provocam a abertura dessa entrada. Quando a entrada é aberta, é sugado para dentro tudo que estiver ao redor incluindo à presa que estimulou o gatilho.

Armadilhas folhas colantes :

Este tipo de armadilha em relação às outras existentes é a mais simples. São glândulas colantes espalhadas nas folhas e podem estar presentes na planta toda. Em plantas como Byblis, Drosera, Drosophyllum, Ibicella e Triphyophyllum é encontrada este tipo de armadilha que capturam geralmente pequenos insetos voadores.

As folhas das plantas carnívoras que possuem este tipo de armadilha estão divididas em duas partes, similar a uma boca, com gatilhos no interior. Este gatilho ao ser tocado pelo animal aciona um mecanismo que imediatamente fecha as metades da folha, sendo abertas somente após a digestão do animal. Ao contrário do que muitas pessoas pensam estas enzimas proteolíticas são inofensivas à pele humana e aos animais de médio e grande porte. Esse tipo de armadilha é encontrada na Dionéia (Dionaea) que se alimenta principalmente de aranhas, moscas, lagartas, lesmas, entre outros. O animal capturado é ingerido pelas glândulas digestivas da folha enter 5 a 15 dias.

As dionéias conseguem diferenciar insetos e dentritos não comestíveis que possam cair em sua armadilha através dos pêlos sensitivos. Objetos inanimados como pedras e galhos quando caem nas folhas abertas das dionéias não se movimentam, portanto, não dispararão os pelos sensitivos das plantas.

Visite também os posts:

Bromélia

Pândano

Gengibre vermelho.

Babosa de arvore.

Pleomele.

Afelandra

Helicônia papagaio

Lírio amarelo

 

Pata de vaca branca.

Piléia.

Mulungu.

Agapanthus.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

 

Aprenda a utilizar o NPK na adubação de suas plantas


As plantas retiram do solo a maior parte de seus nutrientes. E ao longo de sua vida, cada uma delas necessitam de diferentes tipos de “alimento”, porém o NPK é um adubo mineral, sintetizado pela industria.

E seu uso facilita adubação, por conter os nutrientes que as plantas mais necessitam para um crescimentos saudável. Descubra o que é o NPK:

  • (N) Nitrogênio- é responsável pela formação e crescimento da parte verde das plantas (caule e folhas).
  • (P) Fosforo- garante o surgimento de flores e frutos.
  • (K) Potássio- responsável pela formação de raízes, fortifica a planta, para combater pragas e doenças, e resistir á variações de clima, até a seca.

Ao comprar adubos minerais, observe que eles trazem marcação da quantidade de cada elemento de NPK. Que se divide em três grupos mais usados.

NPK  04-14-08.

NPK 10-10-10.

NPK 25-25-25.

Para saber qual dos 3 tipos se encaixa nas necessidades de suas plantas, siga uma regra simples.

  • Para as palmeiras,  pinheiros, folhagens, cactos, suculentas, gramas e todas as outras plantas que não tem flores ou frutos, deve ser utilizado o adubo NPK 10-10-10.
  • Para as arvores frutíferas ou espécies que apresentam flores, o apropriado é o NPK 04-14-08.
  • E finalmente o NPK 25-25-25 é recomendado para o uso em plantas cultivadas em hidroponia.

Com esta dica você verá que suas plantas iram responder melhor as adubações realizadas daqui por diante. E lembre-se que o correto é realizar a adubação a cada 3 meses no Outono/Inverno; E todo mês na Primavera/verão.

Na proporção de 2 colheres de sopa, para cada 10 quilos de terra. Instale o adubo NPK afastado das raízes da planta, para que não as queime. Para plantas cultivadas em vaso deposite o mais próximo do vaso que puder; E plantas cultivadas no solo, coloque o adubo a 20 cm de distância das raízes.


Visite também os posts:

Cadeira americana.


Recicle janela de madeira.


Mesa de madeira.


Decoração com paletes.


Patina de demolição.

Projetos e cultivo de jardins.


Adubo orgânico.


Ponto cardiais e cultivo de plantas.


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

 

Orquídeas: adubação, umidade e ventilação.


Adubação:

A formulação realizada com nitrogênio, fósforo e potássio é um bom produto para realizar a adubação de orquídeas, com preço acessível, apresenta um resultado excelente, quando empregado da maneira correta.

Aplique o fertilizante mineral NPK 04-14-08, a cada 2 semanas na proporção de 1 colher de café por litro de água, se utilizar a formula em pó.

Ou mensalmente se utilizar a formula em grânulos, coloque uma medida de 1/4 de colher de café no canto do vaso, (longe da raízes). E molhe a planta em água correte, para a orquídea iniciar a absorção do adubo.

A adubação de orquídeas deve ser realizada com muito cuidado e cautela, pois os fertilizantes quando aplicados em quantidade superior a necessidade da planta, queimam suas raízes e folhas, muitas vezes levando a perda do exemplar.

Umidade:

Por sua característica epífita, as orquídeas preferem falta a excesso de água junto às raízes. A rega deve ser feita apenas quando o substrato estiver seco e se a orquídea for cultivada em vasos nunca deixe água acumulada nos pratinhos, pois apodrece as raízes.

As orquídeas são plantas adaptadas à condições de umidade do ar relativamente elevadas, portanto em regiões e períodos mais secos, recomenda-se borrifar a planta com água filtrada periodicamente.

Ventilação:

Por serem plantas epífitas, (possuem raízes aéreas), as orquídeas suportam bem uma brisa suave e contínua, mas deve evitar ventos fortes e canalizados.

Para ter sucesso no cultivo de orquídeas os excessos devem ser evitados, lembre-se, orquídeas não toleram exposição direta ao vento, sol ou receber água em grande quantidade .


Para a orquídea iniciar a absorção do adubo, molhe a planta em água correte.

Adubação de orquídeas deve ser realizada com muito cuidado e cautela.

Orquídeas preferem falta a excesso de água.

Para ter sucesso no cultivo de orquídeas os excessos devem ser evitados.

Visite também os posts:

Orquídeas.


Orquídea bambu.


Estufa para plantas


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.