Tag: florescimento

Amarilis

O amarílis, (Hippeastrum hybridum), conhecida popularmente como: Amarílis, Açucena e Flor da imperatriz, planta herbácea, perene e florífera, nativa das Américas Central, Norte e Sul.

Apreciada no mundo todo, originada do cruzamento entre 2 espécies de Hippeastrum; Criando uma nova classe de plantas híbridas que fazem muito sucesso. Os amarílis possuem flores cônicas, simples, dobradas ou semi-dobradas, grandes e belíssimas.

amarílis apresenta florescimento terminal, altamente ornamental; E apresenta grande facilidade de germinação, porem a floração é muito delicada e requer muitos cuidados.

No inverno, a planta entra em dormência e prepara-se para a nova floração no início da primavera as flores despontam de uma forma tão rápida e espetacular que impressiona.

Quando o amarílis não floresce é porque a luminosidade esta sendo insuficiente. O amarílis é uma planta que passa por 4 ciclos bem marcados, que são:
Crescimento das folhas.
– Armazenamento de energéticas.
– Dormência.
– Florescimento.

Se o armazenamento resultar em poucas reservas, a planta não florescerá, e se dedicará a produzir mais folhas (que aumentem a sua capacidade de armazenamento no próximo ano). Assim, como as plantas se alimentam através da fotossíntese, é importante que o amarílis receba a luz solar direta durante as fases de crescimento e armazenamento. Após isso, ela pode ser levada para dentro de casa, onde pode passar pela dormência e florescimento, sem prejuízo. É importante reduzir as regas no inverno (seja ele frio ou seco), para que a planta possa entrar em dormência sem o risco de apodrecimentos. A fertilização, com adubos ricos em: fósforo (farinha de ossos + torta de mamona, ou NPK 4.14.8), deve ser feita durante a floração, crescimento e armazenamento, resguardando o período de dormência.

Em projetos de paisagismo amarílis é excelente para ser cultivada em:

  • Jardim no estilo contemporâneo.
  • Jardim no estilo tropical.
  • Jardim vertical.
  • Consultório.
  • Escritório.
  • Halls.

Há inúmeras formas de introduzir a amarílis na decoração, para a composição com harmonia no ambiente, tais como:

  • Bordadura, em bordas de edificações.
  • Conjunto de vasos enfileirados.
  • Forração sob arvores.
  • Junto a taludes e grandes pedras.
  • Confecção de arranjos florais.

Devido a  amarílis apresentar floração na cor vermelha, a planta se integra com facilidade a espécies, nas cores:

  • Vermelha, laranja, amarela e branca; ou ainda.
  • Rosa, vermelha e branca.

Siga esta dica para facilitar na escolha das espécies para realizar o projeto e cultivo do jardim.

  1. ARVORE:   Flamboyant, Calistemo.
  2. ARBUSTO:   Amaranto.
  3. TOUCEIRA:  Lírio amarelo,   Gladíolos,  Agapanto.

Dicas para o cultivo saudável da amarílis:

  • Regue a planta 1 vez na semana.
  • Cultive sob meia sombra ou sombra.
  • Cultive em solo fértil, bem drenado e ricos em matéria orgânica.
  • Faça replantio da espécie a cada 1 ou 2 anos, conforme a necessidade que a planta apresenta.
  • Realize limpeza da planta, retire folhas velhas, para revitalizar a planta.
  • Mantenha o solo sempre úmido, misturando grama seca ou palha de arroz á terra.
  • Utilize Adubo orgânico, 2 vezes ao ano, para não compactar o solo.
  • Conheça os pontos cardiais, de seu jardim, desta forma irá cultivar suas plantas no local mais indicado para cada uma delas.

Siga estas dicas de cultivo e a  amarílis , ficará livre de pragas e doenças, e se manterá com a aparência exuberante, acrescentando vida, na decoração do ambiente.

 

 

Visite também os posts:

 

Lírio amarelo

Orquídea bambu.

Buxinho

Bromélia

Pândano

Gengibre vermelho.

Babosa de arvore.

Pleomele.

Afelandra

Helicônia papagaio

Lírio amarelo

Areca bambu.

Cica.

Estufa para plantas

Ipê rosa.

Ipê branco.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

Pentas


Pentas, (Pentas lanceolata), arbusto conhecido popularmente como: Estrela-do-Egito, Cacho-de-estrelas e Show-de-estrelas; Apresenta folhagem e florescimento altamente ornamental e folhas que se dispõem aos pares ao longo do caule.

Com intenso melhoramento genético, que permitiu uma ampla variedade de cores e combinações entre: rosa, vermelho, branco e lilás; florescimento terminal altamente ornamental com flores em forma de estrelas.

Atrai muito polinizadores, como: beija-flores e borboletas; Espécie perene, nativa da África, que atinge entre 0,60 cm á 1,20 cm; E apresenta facilidade de germinação.

A pentas trata-se de um arbusto bastante rústico, porém exige regas periódicas e reformas bienais nos maciços.

Em projetos de paisagismo pentas é excelente para ser cultivada em:

  • Jardim no estilo contemporâneo.
  • Jardim no estilo tropical.
  • Jardim no estilo clássico.
  • Jardim no estilo francês.
  • Jardim no estilo italiano.
  • Calçadas.
  • Parques.
  • Pórticos.
  • Praças.

Há inúmeras formas de introduzir a pentas na decoração, para a composição com harmonia no ambiente, tais como:

  • Bordadura, em bordas de edificações.
  • Maciços, em gramados.
  • Conjunto de vasos enfileirados.
  • Conjunto ao longo de alamedas
  • Conjunto de exemplares, na forma de Renque.
  • Forração sob arvores.
  • Cerca viva.
  • Arbusto.
  • Envasada em ambientes externos.
  • Planta palustre próximo á lagos, piscinas, espelho d’água.
  • Junto a taludes e grandes pedras.

Siga esta dica para facilitar na escolha das espécies para realizar o projeto e cultivo do jardim.

  1. ARVORE:    Palmeira, Iuca elefante.
  2. ARBUSTO:    Mirta,   Lantana.
  3. ELEMENTOS:    Talude.

Dicas para o cultivo saudável da pentas:

  • Regue a planta a cada 10 dias, pois a pentas apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive em solo fértil e bem drenado.
  • Realize mudas através de sementes, estacas.
  • Faça reforma do local cultivado a cada 2 anos.
  • Realize limpeza e poda da planta quando cessar a floração.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08
  • Cultive sob sol pleno
  • Utilize Adubo orgânico, 2 vezes ao ano, para não compactar o solo.
  • Conheça os pontos cardiais, de seu jardim, desta forma irá cultivar suas plantas no local mais indicado para cada uma delas.

Siga estas dicas de cultivo e a  pentas , ficará livre de pragas e doenças, e se manterá com a aparência exuberante, acrescentando vida, na decoração do ambiente.


Espécie que apresenta facilidade de germinação.

Espécie perene, nativa da África.

Melhoramento genético, que permitiu uma ampla variedade de cores.

Florescimento terminal altamente ornamental com flores em forma de estrelas.

Apresenta folhagem e florescimento altamente ornamental.

Arbusto bastante rústico.

Atrai muito polinizadores.

Espécie indicada para realizar composição com harmonia no ambiente.

Visite também os posts:

Ipê branco. Cheflera. Cerejeira ornamental. Arvore do viajante.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

Siga no twitter.

Estrela-do-Egito


Estrela-do-Egito, (Pentas lanceolata), arbusto conhecido popularmente como: Pentas, Cacho-de-estrelas e Show-de-estrelas; Apresenta folhagem e florescimento altamente ornamental e folhas que se dispõem aos pares ao longo do caule.

Com intenso melhoramento genético, que permitiu uma ampla variedade de cores e combinações entre: rosa, vermelho, branco e lilás; florescimento terminal altamente ornamental com flores em forma de estrelas.

Atrai muito polinizadores, como: beija-flores e borboletas; Espécie perene, nativa da África, que atinge entre 0,60 cm á 1,20 cm; E apresenta facilidade de germinação.

estrela-do-Egito trata-se de um arbusto bastante rústico, porém exige regas periódicas e reformas bienais nos maciços.

Em projetos de paisagismo estrela-do-Egito é excelente para ser cultivada em:

  • Jardim no estilo contemporâneo.
  • Jardim no estilo tropical.
  • Jardim no estilo clássico.
  • Jardim no estilo francês.
  • Jardim no estilo italiano.
  • Calçadas.
  • Parques.
  • Pórticos.
  • Praças.

Há inúmeras formas de introduzir a estrela-do-Egito na decoração, para a composição com harmonia no ambiente, tais como:

  • Bordadura, em bordas de edificações.
  • Maciços, em gramados.
  • Conjunto de vasos enfileirados.
  • Conjunto ao longo de alamedas
  • Conjunto de exemplares, na forma de Renque.
  • Forração sob arvores.
  • Cerca viva.
  • Arbusto.
  • Envasada em ambientes externos.
  • Planta palustre próximo á lagos, piscinas, espelho d’água.
  • Junto a taludes e grandes pedras.

Siga esta dica para facilitar na escolha das espécies para realizar o projeto e cultivo do jardim.

  1. ARVORE:    Palmeira, Iuca elefante.
  2. ARBUSTO:    Mirta,   Lantana.
  3. ELEMENTOS:    Talude.

Dicas para o cultivo saudável da  estrela-do-Egito:

  • Regue a planta a cada 10 dias, pois a  estrela-do-Egito apresenta grande resistência a falta d’água.
  • Cultive em solo fértil e bem drenado.
  • Realize mudas através de sementes, estacas.
  • Faça reforma do local cultivado a cada 2 anos.
  • Realize limpeza e poda da planta quando cessar a floração.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08
  • Cultive sob sol pleno
  • Utilize Adubo orgânico, 2 vezes ao ano, para não compactar o solo.
  • Conheça os pontos cardiais, de seu jardim, desta forma irá cultivar suas plantas no local mais indicado para cada uma delas.

Siga estas dicas de cultivo e a  estrela-do-Egito, ficará livre de pragas e doenças, e se manterá com a aparência exuberante, acrescentando vida, na decoração do ambiente.


Espécie que apresenta facilidade de germinação.
Espécie perene, nativa da África.
Melhoramento genético, que permitiu uma ampla variedade de cores.
Florescimento terminal altamente ornamental com flores em forma de estrelas.
Apresenta folhagem e florescimento altamente ornamental.
Arbusto bastante rústico.
Atrai muito polinizadores.
Espécie indicada para realizar composição com harmonia no ambiente.

Visite também os posts:

Ipê branco. Cheflera. Cerejeira ornamental. Arvore do viajante.

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

Siga no twitter.