Tag: clima seco

Bromélias


A bromélia (Bromeliaceae), É uma planta de família numerosa, nativa das Américas, principalmente da América do Sul, de florestas tropicais.

Devido a grande diversidade esta espécie é facilmente encontrada em todo Brasil, principalmente no Sul do país, pois são inúmeras às regiões climáticas onde as bromélias se adaptam: desde o litoral até a floresta de altitude;  Passando por climas secos aos mais úmidos.

São aproximadamente 1.400 espécies em mais de 50 gêneros. As bromélias possuem a mesma forma de crescimento: acaule, as folhas que formam rosetas verticais ou achatadas, como uma espécie de copo central, para retenção da água; E nesta água, detritos vegetais e animais em decomposição criam o alimento ideal para a planta.

As bromélias não são parasitas; E elas compõem uma das mais adaptáveis famílias de plantas do mundo e apresentam uma impressionante resistência, e estilo de sobrevivência; Com infinitas e curiosas variedades de formas e combinações de cores; Com gêneros diferentes que requerem diferentes variações de luminosidade, rega e substrato. Na natureza as bromélias são  encontradas como:

  • Epífitas: (apoia-se em outro vegetal para obter mais luz e mais ventilação).
  • Terrestres ou rupícolas: (espécies que crescem no chão ou sobre as pedras).

Bromélias epífitas: Estas bromélias são encontradas em arvores. Podem ser cultivadas facilmente em vasos, porem devem ser plantadas com um substrato que tenha uma boa drenagem, como por exemplo casca de pinos.

Ideal para o cultivo em ambientes internos, com luz indireta. Em projetos de paisagismo é introduzida em jardim de estilo tropical.

Bromélias terrestres ou rupícolas: Estas bromélias podem ser cultivadas em sol pleno e são muito utilizadas em projetos de paisagismo, em jardim de estilo desértico ou árido, devido sua resistência á raios solares diretos em suas folhas; São de fácil cultivo e podem ser plantadas diretamente no jardim; Geralmente apresentam folhas coloridas como: amarelo, vermelho e mescladas; Podendo conter espinhos em suas folhas.
Contudo a maioria das bromélias preferem meia-sombra, observando a mata nativa vemos as que nascem no solo (preferem mais sombra); E as que nascem em troncos, epífitas (procuram luz difusa).
Quando cultivada em vaso, a terra deve ser bem drenada, utilizando composto vegetal; É necessário que as raízes respirem bem. As epífitas tem suas raízes descobertas; Evite o uso de vaso muito grande, de plástico e cerâmica esmaltada, pois dificultam a respiração das raízes, favorecendo a retenção de água dentro do recipiente, prejudicando as raízes da planta, podendo até vir a apodrece-las.

As bromélias realizam grande absorção por suas folhas, por isso a adubação líquida é recomendável e eficiente.

Dica para evirar a proliferação de insetos da dengue:

  • Misture um litro de água com um colher de sopa de água sanitária, para regar as bromélias, (assim as larvas do mosquito da dengue não se proliferam na água depositada nas folhas da planta).


Espécie de bromélias cultivadas em jardim tropical.

Bromélia gigante ao centro, rodeada de bromélias em tamanho natural.

Espécie de bromélia cultivada em jardim árido ou desértico.

Jardim de bromélias de sol pleno.

Visite também o post:

Jardim desértico ou árido terracotajardinagem

Asplênio terracotajardinagem

Suculentas terracotajardinagem

Bilbérgia aleluia.

Ilha do Mel

Trilha de bike

Ubatuba a Paraty

Morretes

Estufa de vidro

Iluminação para orquídeas.

Orquídea bambu.

Talude


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook

Gladiolus hortulamus


Gladiolus x hortulamus, nome cientifico da planta conhecida popularmente como gladíolo, originária do Mediterrâneo; Uma flor de corte, muito usada em arranjos florais, durável; pode ser colhida ainda com botões, com garantia que as flores se abrirão depois de alguns dias num vaso com água.

Na natureza há presente mais de 250 espécies de gladiolus x hortulamus, e as espécies hibridadas, já passam de 10 mil, com todas as cores e tons, exceto em azul. Com flores redondas e triangulares, de pétalas lisas e onduladas, encurvadas ou pone agudas e apresenta flores com 2 cm á 18 cm de diâmetro; E espécies gigante, com caules de até 2 metros de altura.

No Brasil o cultivo da espécie se dá em produção de bulbos e produção de flores de corte. Com uma extensa gama de cores, as mais conhecidas são:

  • Com floração na cor vermelha:   Red Beauty, Hunting Soung,Robineta e Traderhorn.
  • Com floração na cor branca:        Nynph, Teach In e White Friendship.
  • Com floração na cor rosa:              Rose Friendship, Charm, Charming Beauty e Priscilla.
  • Com floração na cor amarela:      Nova lux e Gold Friend.
  • Com floração na cor lilás:               Fidelio.
  • Com floração na cor coral: Peter Pears.

Cultive o gladiolus x hortulamus em solo permeável, rico em matéria orgânica, com espaçamento de 10 cm entre os bulbos e 60 cm entre as fileiras dos canteiros, que devem ser enterrados a 10 cm de profundidade do solo.

A planta se adapta bem a clima ameno, com regas 3 vezes na semana, em clima quente e seco com rega diária. Uma dica para  manter o solo sempre úmido, misture ao solo grama seca ou palha de arroz.

ciclo de produção de gladiolus x hortulamus é curto, as flores levam cerca da 60 dias para surgir. Após o corte da flor, é preciso deixar a planta na terra por mais 60 dias, para o bulbo receber os nutrientes necessários, neste tempo de espera, as folhas murcham, e o bulbo deve ser retirado da terra, e colocado em local ventilado e seco. Quando soltar brotos pode ser replantado novamente. Caso queira esperar o começo da primavera, para realizar um novo plantio, guarde o bulbo na geladeira, para retardar o brotamento.

Esta planta simboliza, fidelidade, amizade, vitória e nobreza. Pois diz a lenda que, na época dos gladiadores, dois amigos foram obrigados a se enfrentar numa luta. Porém ao chegarem na arena, nenhum levantou a espada, e as jogaram no chão, o que irritou a platéia. Os dois guerreiros foram mortos e no local onde foram enterrados, foi plantado o gladiolus x hortulamus, flor que era oferecida aos vencedores de batalhas ou jogos.


 

Gladíolo floração na cor vermelha.
Gladíolo rosa.
Gladíolo amarelo.
Bulbos de gladíolos.

Visite também os posts:

Lírio

Agapanto


Estrela de belém

Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no Facebook.

Siga no twitter.

Bromeliaceae


Bromeliaceae, nome cientifico da espécie conhecida popularmente como bromélia; Planta de família numerosa, nativa das Américas, principalmente da América do Sul, de florestas tropicais.

Devido a grande diversidade esta espécie é facilmente encontrada em todo Brasil, principalmente no Sul do país, pois são inúmeras às regiões climáticas onde as bromeliaceae se adaptam: desde o litoral até a floresta de altitude; Passando por climas secos aos mais úmidos.

São aproximadamente 1.400 espécies em mais de 50 gêneros. As bromeliaceae possuem a mesma forma de crescimento: acaule, as folhas que formam rosetas verticais ou achatadas, como uma espécie de copo central, para retenção da água; E nesta água, detritos vegetais e animais em decomposição criam o alimento ideal para a planta.

As bromeliaceae não são parasitas; E elas compõem uma das mais adaptáveis famílias de plantas do mundo e apresentam uma impressionante resistência, e estilo de sobrevivência; Com infinitas e curiosas variedades de formas e combinações de cores; Com gêneros diferentes que requerem diferentes variações de luminosidade, rega e substrato. Na natureza as bromélias são  encontradas como:

  • Epífitas: (apoia-se em outro vegetal para obter mais luz e mais ventilação).
  • Terrestres ou rupícolas: (espécies que crescem no chão ou sobre as pedras).

Bromeliaceae epífitas: são encontradas em arvores. Podem ser cultivadas facilmente em vasos, porem devem ser plantadas com um substrato que tenha uma boa drenagem, como por exemplo casca de pinos.

Ideal para o cultivo em ambientes internos, com luz indireta. Em projetos de paisagismo é introduzida em jardim de estilo tropical.

Bromeliaceae terrestres ou rupícolas: podem ser cultivadas em sol pleno e são muito utilizadas em projetos de paisagismo, em jardim de estilo desértico ou árido, devido sua resistência á raios solares diretos em suas folhas; São de fácil cultivo e podem ser plantadas diretamente no jardim; Geralmente apresentam folhas coloridas como: amarelo, vermelho e mescladas; Podendo conter espinhos em suas folhas.

Contudo a maioria das bromeliaceae preferem meia-sombra, observando a mata nativa vemos as que nascem no solo (preferem mais sombra); E as que nascem em troncos, epífitas (procuram luz difusa).

Quando cultivada em vaso, a terra deve ser bem drenada, utilizando composto vegetal; É necessário que as raízes respirem bem. As epífitas tem suas raízes descobertas; Evite o uso de vaso muito grande, de plástico e cerâmica esmaltada, pois dificultam a respiração das raízes, favorecendo a retenção de água dentro do recipiente, prejudicando as raízes da planta, podendo até vir a apodrece-las.

As Bromeliaceae realizam grande absorção por suas folhas, por isso a adubação líquida é recomendável e eficiente.

Dica para evirar a proliferação de insetos da dengue:

  • Misture um litro de água com um colher de sopa de água sanitária, para regar as Bromeliaceae, (assim as larvas do mosquito da dengue não se proliferam na água depositada nas folhas da planta).


Espécie de bromélias cultivadas em jardim tropical.

Jardim de bromeliaceae, cultivada sob sol pleno.

m

Bromélia gigante ao centro, rodeada de bromélias em tamanho natural.