Tag: aroma

Madressilva

A madressilva é uma especie entouceirada, também conhecida como: alstroeméria, lírio-de-luna, lírio-dos-incas, lírio-peruviano, madressilva-brasileira, madressilva-da-terra, madressilva-de-canteiro.

Planta perecível, que necessita realizar o replantio após o termino da floração, se desejar um cultivo de qualidade, pois a espécie diminui o vigor após florir.

Nativa do Brasil, a madressilva possui aroma semelhante ao da trepadeira madressilva; Com porte que chega a medir 50 cm de altura e folhas verdes que caem na época da florada.

O cultivo da madressilva pode ser realizado em vasos, canteiros, renques próximo á  muros ou ainda em forma de maciço, introduzida em projetos de paisagismo em jardim de estilo tropical.

Se deseja cultivar espécies que exalam aromas, conheça duas espécies, com cheiros semelhantes, porém, com estruturas bem diferenciadas. Se optar pelo plantio irá introduzir em seu projeto de paisagismo espécies que aguçam além do sentido visual o do olfato também.

Dicas para o cultivo saudável da madressilva:

  • Regue a planta 1 vez na semana.
  • Cultive sob meia sombra.
  • Cultive em solo fértil, bem drenado e ricos em matéria orgânica.
  • Realize mudas através de divisão de touceira, durante o repouso vegetativo, no início do Outono.
  • Faça replantio da espécie a cada 1 ou 2 anos, conforme a necessidade que a planta apresenta.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.

 

 

 

Pitangueira

A pitangueira arvore nativa da mata atlântica brasileira. E também encontrada na Ilha da Madeira, Portugal, onde foi introduzida pelos portugueses.

Cultivada tradicionalmente em quintais domésticos. Ornamental, esta arvore é muito utilizada em projetos paisagísticos, com a característica de combinar com vários estilos de jardins. Podendo também ser cultivada em vasos de grande e médio porte, seus frutos são grandes atrativos para pássaros.

A pitangueira é uma arvore de pequeno porte, nas regiões subtropicais alcança entre 7 a 10 metros de altura, desenvolvimento moderado e medianamente rustica, com tronco irregular, ramificado, bastante engalhado de cor avermelhada, com folhas de aroma muito agradável quando macerada. Desenvolve-se bem em terrenos arenosos. Importante na utilização em reflorestamentos para a recuperação em áreas degradadas.

Floresce de agosto a novembro. E o período de frutificação varia de outubro a janeiro. A floração da pitangueira é abundante, branca e perfumada. O fruto é arredondado e relativamente pequeno, coloração vermelha, rubra, roxa, às vezes quase preta; Polpa carnosa, de sabor adocicado, levemente ácido, envolvendo uma semente esverdeada.

O ato de comer pitangas colhidas diretamente no pé tem espaço garantido na cultura e sentimento brasileiro. Fruta muito apreciada por sua polpa agridoce e perfumada. Da pitanga se obtém: sucos, geleias, vinhos, doces e licores. A presença de licopeno, anti-oxidante,  em sua composição é responsável pela coloração vermelha intensa da fruta.
Na composição química de 100 gramas de polpa de pitanga foram encontradas: 38 calorias, proteína, cálcio, fósforo, ferro, vitamina B2 e vitamina C.

Com as folhas se faz chá eficiente no alívio de dores reumáticas; No tratamento de bronquite; E para baixar a febre. A madeira é empregada na confecção de cabos de ferramentas e outros instrumentos agrícolas.

Sendo o estado de Pernambuco um dos principais produtores, tem uma produção estimada em 1700 toneladas de frutos ao ano.

 

Pitanga na literatura:

  • Vem da língua Tupi-Guarani (pi-tana), vermelho.
  • A essa cor se deve a expressão “chorar pitanga”. Segundo Câmara Cascudo, é adaptação da expressão portuguesa “chorar lágrimas de sangue”.
  • A cor da “boca mimosa e vermelha como pitanga” descrita por José de Alencar, em Iracema.
  • A cor do rosto envergonhado “que ficou como uma pitanga”, segundo Machado de Assis, em Quincas Borba.
  • “Erisipela só tá com febre alta… Isto passa. Com o chá de pitanga, tudo vai indo”, receita de Guimarães Rosa, em Sagarana.

 

Alfazema


Nativa da Região Mediterrânea a alfazema, (Lavandula), é uma espécie tipica de clima temperado e subtropical e não sobrevive a muito calor e seca; Conhecida também popularmente como:  lavanda, lavândula e espicanardo.

Atinge até 1 metro de altura e apresenta folhas verdes e floração espigada na cor roxa.

diversas variedades de alfazema como por exemplo a lavanda francesa (Lavandula dentata), atinge 90 cm de altura e apresenta folhas acinzentadas, com bordas dentadas. Sua inflorescência espigada ocorre na primavera composta por pequenas flores roxas que se abrem aos poucos.

Sua florada se dá durante todo verão e atrai borboletas, pássaros e pequenos insetos como abelhas e joaninhas.

A alfazema apresenta grande resistência e ao mesmo tempo beleza e aroma; Por este motivo se tornou uma das flores mais usadas em projetos de paisagismo e é excelente para ser cultivada em:

  • Jardim no estilo contemporâneo.
  • Jardim no estilo tropical.
  • Jardim no estilo clássico.
  • Jardim no estilo francês.
  • Jardim no estilo italiano.
  • Calçadas.
  • Parques.
  • Pórticos.
  • Praças.

Há inúmeras formas de introduzir a alfazema na decoração, para a composição com harmonia no ambiente, tais como:

Devido a  alfazema apresentar floração na cor roxa,  a planta se integra com facilidade a espécies, nas cores:

  • Roxa, azul e branca ou ainda para criar contraste com a planta espécies com flores amarela.

Siga esta dica para facilitar na escolha das espécies para realizar o projeto e cultivo do jardim.

  1. TOUCEIRA:   Lírio amarelo,    Olho de tigre,     Estrelítzia,    Falsa íris,      Agapanto.
  2. TREPADEIRA:     Alamanda amarela.
  3. FORRAÇÃO:    Mal me quer.

Dicas para o cultivo saudável da alfazema :

  • Regue a planta  1 vez na semana.
  • Cultive sob sol pleno ou meia sombra.
  • Cultive em solo fértil, bem drenado e ricos em matéria orgânica.
  • Realize mudas através de divisão de touceira.
  • Adube com fertilizante mineral, Npk 04-14-08.
  • Mantenha o solo sempre úmido, misturando grama seca ou palha de arroz á terra.
  • Utilize Adubo orgânico, 2 vezes ao ano, para não compactar o solo.
  • Conheça os pontos cardiais, de seu jardim, desta forma irá cultivar suas plantas no local mais indicado para cada uma delas.


Siga estas dicas de cultivo e a  alfazema , ficará livre de pragas e doenças, e se manterá com a aparência exuberante, acrescentando vida, na decoração do ambiente e surpreenda-se com a quantidade de flores e aroma em seu jardim.

Curiosidade: Nome cientifico Lavandula, em latim lavane e significa lavar.

Lavanda francesa.
Detalhe da flor de lavanda.
Campo de lavanda francesa.
Campo de lavanda.
Lavanda cultivada próximo a janelas libera aroma em todo ambiente.
Lavanda cultivada entorno de fonte em jardim clássico.

Visite também os posts:

Gengibre ornamental.


Pata de elefante.


Afelandra.


Envie comentário.

Tire suas dúvidas.

Curta no facebook.

Siga no twitter.